Estou Causando

Bilionário turco vai doar metade de sua fortuna para ajudar refugiados.

Solução de bilionário para crise de refugiados: contratá-los

Loading Likes...

Empresa “causadora” tem um plano para resolver a grave crise mundial de refugiados

Ulukaya, Hamdi Ulukaya, 46 anos, um imigrante criado numa família de produtores de leite na Turquia, que usou um pequeno empréstimo da Administração de Pequenas Empresas dos EUA, comprou uma fábrica fechada da Kraft Foods no norte de Nova Iorque e lançou a sua empresa em 2007  criando o iogurte Chobani numa marca popular nos EUA, onde é o iogurte número 1 em vendas, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Atualmente, um dos assuntos que mais despertam atenção das nações é a dos refugiados que buscam abrigo em países da Europa, é triste ver a condição do ser humano em navios tentando sobreviver em outros países.

Comovido com esta situação, Hamdi Ulukaya, o bilionário turco, fundador da Chobani (marca que lidera o mercado de iogurte grego nos Estados Unidos) resolveu participar do The Giving Pledge, projeto criado por Bill Gates e Warren Buffett, que agrega vários bilionários do mundo todo com o objetivo de doarem uma parcela de suas fortunas em vida.

Com um patrimônio da casa de U$.1,41 Bilhão (R$ 5,44 bilhões), entrou no grupo decidido a investir ao mínimo a metade de sua fortuna em ações que prestem ajuda aos refugiados em todo o mundo.

Detalhe, em 2018 ele doou U$ 2 milhões (R$ 7,72) para a agência da ONU especializada em refugiados, pensando nisto, criou a fundação TENT, cujo objetivo é prestar socorro aos refugiados.

Durante uma viagem à Colômbia, onde se reuniu com líderes empresariais e migrantes venezuelanos, o bilionário considerou que as empresas têm a responsabilidade de ajudar a resolver a emergência global dos refugiados.

“O principal é contratar, um emprego”, salientou numa entrevista em Bogotá. “Para um refugiado, isso é crucial. É neste ponto que percebe que a sua vida pode continuar.” Ulukaya disse que um número “significativo” de empresas dos setores de bens e serviços com operações na América Latina concordou em aderir ao programa para ajudar migrantes venezuelanos na Colômbia, com emprego e outras iniciativas.

Ulukaya, demonstra o seu apoio com ações. A Chobani tem uma política de empregar refugiados nas suas fábricas nos EUA, e o empresário tem destinado grande parte da sua fortuna pessoal para a Tent Partnership for Refugees, uma instituição de caridade fundada por ele. Desde então, Ulukaya viaja para recrutar líderes empresariais com o objetivo de fazer pressão para que considerem os refugiados na hora de contratar.

“É bom que as empresas façam parte disto”, disse. “Porque daqui a cinco ou dez anos, as pessoas vão questionar: ’O que você fez? Porque é que não fez parte disto?’”

A Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) estima que a população mundial de pessoas deslocadas à força, que inclui refugiados e outros migrantes, tenha aumentado quase 70% na última década, para cerca de 71 milhões.

Cerca de 4 milhões de venezuelanos fugiram de uma crise económica e humanitária na sua terra natal. Aproximadamente 1,4 milhão foi parar à Colômbia, um país de 49 milhões que pediu ajuda a doadores internacionais para conseguir arcar com os crescentes custos.

A empresa de capital fechado tem enfrentado desafios nos últimos anos devido à queda das vendas de iogurte grego e ao aumento da concorrência.

Mas as vendas mostram melhorias em 2019, e a receita anual é de cerca de 1,5 mil milhões de dólares, informou a empresa. Por enquanto, Ulukaya disse que não vê necessidade de abrir o capital da Chobani. O executivo prefere concentrar-se no lançamento de produtos “em categorias onde nunca estivemos antes”, sem detalhar os produtos ou o cronograma.

“Não sou contra um IPO”, afirmou. “Preciso fazer isto pela razão certa e na hora certa.”

Fontes:
Negócios
Revista Forbes
Bloomberg
JCS
Foto: Revista Forbes
(Texto original: Yogurt Billionaire’s Solution to World Refugee Crisis: Hire Them)

 

 

Tags

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Veja Também

Fechar