Saúde da Mulher

Dismenorréia

O tratamento da dismenorréia

Loading Likes...

Saúde da Mulher

 A dismenorréia é uma dor pélvica que acomete as mulheres em idade reprodutiva durante o período menstrual de forma cíclica. No Brasil, cerca de 70% da população feminina apresenta o problema, que dependendo da intensidade pode ser incapacitante, afastando profissionais do trabalho e estudantes do colégio.

De acordo com o Dr. Nilson Roberto de Melo, professor livre-docente pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e presidente da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), a dismenorréia pode ser primária ou secundária. “Na dismenorréia primária o aumento da produção de prostaglandina, que promove contrações, é responsável pelo quadro doloroso. Esse tipo de dismenorréia é muito comum na adolescência e a dor pode ser intensa. O que não significa gravidade.”

Já na dismenorréia secundária, como explica o ginecologista, a causa é orgânica, e muitos podem ser os fatores de alteração do sistema reprodutivo. “Entre eles estão o mioma, o pólipo endometrial, as varizes pélvicas, os tumores ovarianos, a congestão pélvica, a doença inflamatória pélvica e a endometriose, que é uma causa cada vez mais freqüente. Para fazer o diagnóstico correto da dismenorréia o médico precisa afastar as causas orgânicas. Nesse caso a realização de um ultra-som ajuda bastante”, acrescenta o Dr. Melo.

Segundo o especialista, o tratamento de eleição para a dismenorréia são os antiinflamatórios não-hormonais (Aines). A segunda opção seria o uso da pílula  anticoncepcional. “Existem ainda tratamentos variados que podem ser usados como suporte ou complemento, como dieta com restrição de sódio, prática de atividade física, repouso durante a crise aguda, entre outros. Entretanto, a primeira recomendação é o uso dos antiinflamatórios não-hormonais”, relata o Dr. Melo.

Ele explica ainda que no caso das pacientes que não desejam uma gravidez é possível  começar o tratamento da dismenorréia com a pílula, que cumpriria dois papéis. E se a pílula não fizer efeito, pode ser feita a associação de um antiinflamatório não-hormonal. Já no caso de mulheres que não têm atividade sexual, o ideal é o uso de antiinflamatório.

Nesse sentido, o Dr. Melo comenta que o cetoprofeno é uma alternativa adequada. “O cetoprofeno é um medicamento já consagrado, com vários trabalhos realizados que comprovam sua eficácia. Portanto é um dos produtos de escolha. Como todos os antiinflamatórios não-hormonais, inibe a síntese da formação das prostaglandinas, eliminando o quadro doloroso. Em casos em que além da dor existe sangramento aumentado, o cetoprofeno  também pode diminuir o volume de sangue.”

O ginecologista conta que sua experiência com o cetoprofeno é muito boa. “Não tenho nenhum trabalho científico feito com essa medicação, mas costumo utilizá-la na prática clínica e observo que os resultados são muito bons. Podemos usar o cetoprofeno de várias maneiras; no início do quadro de dor, não esperando que a dor fique intensa, ou até antes que a dor apareça, no caso de mulheres  com ciclo menstrual regular, que podem iniciar a medicação um dia antes de menstruar, por exemplo. O cetoprofeno é bastante adequado para o tratamento da dismenorréia.”

Além disso, o médico diz que a vantagem dessa medicação é a experiência que os ginecologistas já têm com ela e a quantidade de trabalhos científicos já realizados, que conferem mais segurança a sua utilização.

 

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Fechar