CausadoresEstou CausandoSaúde

Médicos do Mundo – causando medicina em céu aberto

Fazer o bem sem olhar a quem

Loading Likes...

Mutirão do Médicos de Rua acontece mensalmente em São Paulo

No último domingo de maio, dia 26, como regularmente acontece, o projeto social Médicos do Mundo, foi a campo prestar atendimento multidisciplinar a moradores em situação de vulnerabilidade, fornecendo atendimento médico, odontológico, veterinário, psicológico, fisioterapia, curativos de enfermagem, testes de glicemia, orientações jurídicas entre outros, no Pátio do Colégio, centro de São Paulo.

O Instituto Eu Causo, acompanhou de perto, durante as cinco horas de trabalho ininterrupto, o empenho e dedicação das equipes e alunos de medicina, de farmácia, de enfermagem e de outras áreas, em atender cerca de quinhentas pessoas em situação de rua, trabalho pleno de amor com o único objetivo de colocar em prática a verdadeira medicina humanizada.

O índice de moradores de rua é crescente a cada ano. Entre os principais motivos para viver na rua, está a falta de opção e o não acolhimento da família. Dentre os problemas, estão o consumo de álcool e drogas (35,5%), desemprego (29,8%) e desavenças familiares (29,1%). Essa população sofre com riscos à saúde relacionados à violência; variação climática; alimentação incerta; relações sexuais; sono inadequado; falta de acesso à água limpa e locais para higiene pessoal e necessidades fisiológicas, além de outros fatores. Os moradores de rua também sofrem com questões psicossociais, onde o desprezo e o estigma é um grande motivo de sofrimento emocional para eles. “Muitos se sentem intimidados em procurar auxílio”, comenta uma estudante de medicina, emocionada e sensibilizada diante da triste realidade.

É uma população invisível que perambula pelas ruas e costuma ser ignorado no dia a dia de quem circula nos centros movimentados. Quebrar essa barreira, olhar para essas pessoas, e estender-lhes a mão para aliviar o sofrimento é o propósito do idealizador, Mário Guimarães , neurologista e professor da Faculdade de Medicina da Anhembi-Morumbi, de São Paulo, instituição integrante da Rede Laureate. O projeto é realizado pela ONG Médicos do Mundo, trazido ao Brasil em 2015, depois de conhecer o trabalho do médico americano Jim Withers, o grande inspirador do que hoje se chama medicina de rua. Desde 1992, ele faz o atendimento da população sem-teto. Começou nas ruas de Pittsburgh e hoje ajuda a coordenar uma organização dedicada à prática que já atua em 85 cidades de 15 países.

Inspirado em Jim, Mário com a mochilinha nas costas, também iniciou sozinho a ação em São Paulo. Aos poucos, foi ganhando a ajuda de estudantes, fez parceria com a Pastoral da Rua, da Igreja Católica, com o fornecimento de alimentos, momento importante para a regularidade das ações e pelo elevado número de atendimentos. No início era na Praça da Sé, porém houve necessidade de mudança para o Pátio do Colégio, o que dificulta a logística com a Pastoral, e nestes dois últimos meses, ficaram sem a distribuição dos lanches. Mas estão a ponto de fechar uma parceria com uma ONG, que assumirá o fornecimento de lanches, ação imprescindível e complementar para o projeto.

“No começo, só vinha ele e eu. Até que chegamos a 75 pessoas”, lembra uma das voluntárias, a aluna Mayara Robles. Na rua, alunos e professor conseguem tratar diversos tipos de infecções, dermatites, dermatoses, diagnosticar hipertensão, diabetes e medicar. O projeto hoje já conta com a ajuda de outros professores e médicos, também serve como modelo para outras iniciativas parecidas. “Muitos colegas Brasil afora vêm até aqui participar, ver como funciona para levar para as cidades deles”, conta Mário.

Atendimento na calçada

“Ao invés do paciente ir até o médico, o médico vai até o paciente”, comenta Mário Guimarães. Anda por entre as barracas e conecta-se com os pacientes com extrema facilidade. Sempre com um sorriso estampado, emanando alegria e amor. Dá extrema atenção para cada um que se aproxima, escuta e às vezes até não entende, claro, o que não o impede de terminar o breve encontro com um abraço. “Quando você vê a força de um abraço para que alguém reencontre sua humanidade, nunca mais enxerga o cuidado com o outro do mesmo jeito”, diz.

Para Carolini Santana, do 5º ano de Medicina, o projeto é mais que doação de tempo. “Cada dia que eu venho aqui, eu aprendo muito mais. Medicina não é só medicar e pronto, não é aquela coisa robótica. Muitas vezes, eles só querem um abraço, conversar com a gente, serem vistos com compaixão”.

E é justamente humanizar a geração de novos médicos a ideia mais defendida pelo professor. “Por conta do tecnicismo e cientificismo excessivo, o aluno de Medicina tinha perdido a coisa de olhar com olhos de compaixão. E eu percebo que os alunos daqui saem com uma visão técnica melhor, uma visão mais humana e acolhedora também e com uma consciência social, uma consciência de que nós podemos transformar o nosso país”, acredita.

O acesso dos profissionais de saúde à população de rua é identificado através de um colete com a marca Médicos do Mundo e Médicos de Rua. Estão no momento de aperfeiçoamento contando com a colaboração de voluntários do marketing, que estão desenvolvendo uma comunicação visual imediata através de cores para cada profissional de saúde.

As equipes são formadas  por profissionais de diversas áreas da saúde e outras complementares que desempenham atividades para garantir atenção, defesa e proteção às pessoas em situação de risco pessoal e social. Tais profissionais possuem habilidades e competências para atuar com usuários de álcool, crack e outras drogas. Doenças infecciosas, respiratórias e lesões resultantes de brigas ou de feridas no pé pelo simples fato de a pessoa não ter um sapato estão entre os casos mais comuns. Para tanto, agregam conhecimentos básicos sobre redução de danos, realizam atividades educativas e culturais, fazem a dispensação de insumos de proteção à saúde e encaminhamentos para rede de saúde e intersetorial e acompanham o cuidado das pessoas em situação de rua.

Em meio a tanta precariedade, a assistência às vezes sai da esfera médica para a judicial (auxílio para obter documentos, por exemplo, com ajuda de advogados). Justiça de Rua, juntamente com os Médicos de Rua nesta ação do mês de maio deram atendimento e orientação para 15 moradores de rua, nas diversas áreas do direito; Direito Civil, Direito Trabalhista, Direito Penal e Direito Previdenciário. Os casos mais comuns são em direito Civil, quase sempre com relação a documentação, “perdidas ou furtadas”, onde os assistidos são orientados e encaminhados ao Poupa Tempo para emissão de novos documentos. Nesta última ação também ocorreu um caso na área Penal, onde compareceu uma assistida do Rio de Janeiro, que se encontrava morando em Santos e está em São Paulo, pois se envolveu com um traficante em Santos e responde a processo de tráfico. Ocorre que se desentendeu com o traficante e fugiu para São Paulo a fim de se salvar. Todavia sua liberdade está condicionada a moradia em Santos local fixo e devido ao relatado corre o risco de perder sua liberdade. O maior problema é que no dia 13 de junho terá audiência e ela deverá comparecer lá em Santos, se ela informar ao juiz que não poderá comparecer a audiência pois corre risco de morte, e que está aqui em São Paulo na situação de rua, perderá o beneficio condicional e voltará para a cadeia, explica o advogado responsável Reginaldo Gonçalves. Na área Previdenciária, também sempre com muita demanda para casos de FGTS, Pensão Alimentícia, Benefício de Prestação Continuada, LOAS e Auxílio Acidente. E na área trabalhista, compareceu um assistido ex-morador de rua, solicitando ajuda para impressão de currículo.

A estrutura Médicos do Mundo, instalada nas calçadas, conta com a montagem de 14 barracas identificadas, alinhadas uma ao lado da outra sendo cada uma referente a um projeto do Médicos do Mundo:

Médicos de Rua
Focado na atenção primária de saúde, prevenção, promoção de saúde, educação e com protocolo de triagem holandês (90% dos casos triados e sem necessidade de intervenção. Dentre os 10% que necessitam de intervenção, 90% são tratados em atenção primária) Alguns casos que necessitam de atenção secundária e terciária são atendidos no local. Resolutividade de 97% dos casos in loco.

Enfermagem de Rua
Focado na atenção primária, realização de triagem inicial com aferição de sinais vitais como PA, oximetria e temperatura. Enfermeiros de diversas especialidades realizam atendimento, testes diagnósticos (glicemia) e curativos, além de educação e promoção de saúde.

Veterinários de Rua
Focado na saúde animal e com a participação de veterinários de diversas especialidades (atendimento no local e cirurgias em parceria com o hospital veterinário universitário). São realizadas atividades de triagem, avaliações médicas e quando necessária a prescrição de tratamento médico e encaminhamentos.  Campanha de vacinação, distribuição de ração e medicamentos veterinários e doação de tigelas, coleiras e roupinhas. Parceria com o MUNDO ANIMAL para produtos veterinários, infraestrutura e Veterinário.

Farmácia de Rua
Focado na dispensação de medicamentos e atenção farmacêutica, bem como na promoção da educação do uso racional de medicamentos, distribuição de preservativos e orientação para aquisição do medicamento necessário quando este não for dispensado na ação e encaminhamento para órgãos públicos que realizem a dispensação de medicamentos como Postos de Saúde, Farmácia Popular, entre outros. Distribuição de preservativos.

Laboratório de Rua
Biomédicos, químicos e farmacêuticos realizam testes rápidos de sífilis, HIV e hepatite. Os exames laboratoriais são feitos em parceria com laboratórios de análises clínicas. Orientação e encaminhamento ao Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS e aos serviços de assistência especializada – SAEs

Beleza de Rua
Focado em atendimentos que visam a promoção do bem estar através do corte de cabelo, hidratação facial e quiral, entrega de kits de higiene pessoal: sabonete, escova dental, creme dental, pente, papel higiênico, absorvente (feminino), aparelho de barba (masculino).

Reabilitação de Rua
Fisioterapeutas realizam exercícios para manejo de dor e problemas respiratórios. Realizam orientações quanto a prevenção e promoção da saúde. Oferecem quick massage nas costas e nas mãos simultaneamente através de dois profissionais, e tratamento através de auriculoterapia

Nutrição de Rua
Realizam orientações nutricionais, educação, prevenção, promoção, saúde; verificam a circunferência abdominal, peso e dobras para cálculos de IMC e riscos cardiológicos.

Só Risos – Dentista de Rua
Focado na educação, prevenção, promoção da saúde e atenção primária. Realizando atendimentos voltados para a saúde bucal com odontólogos de diversas especialidades com auxílio de alunos. Atendimento local através de triagem, avaliações odontológicas, aplicação tópica de flúor e ART; Parceria com centros odontológicos quando necessária a prescrição de tratamento e encaminhamentos.

Mentes de Rua
Focado na saúde mental, conta com a presença de psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais. Atuam com portadores de transtornos mentais.

Mulheres sem Medo
Focado em educação, prevenção, promoção da saúde e atenção primária em saúde da mulher, com presença de ginecologistas e outras especialidades na saúde da mulher; atendimento ginecológico, prevenção de abortos e planejamento familiar; Dispensação de contraceptivos (anticoncepcionais orais e implantes subcutâneos). Exames são executados em uma ambulância, necessidade inclusive do projeto ter e manter uma própria.

Justiça de Rua
Programa que visa estruturar e traçar estratégias e políticas no âmbito da Associação Médicos do Mundo para suprir a demanda de atendimento em saúde social, assistência social e jurídica a pessoas em situação de rua, moradores de rua, desabrigados, imigrantes e refugiados. É focada na ação social e jurídica, bem como na promoção da orientação e educação. São realizadas atividades de triagem, atendimentos sociais e jurídicos e quando necessário, encaminhamentos para órgãos de defensoria pública, ministério público e judiciário.

Doutores Brinquedos
Foco dado em saúde da criança e com presença de pediatras, enfermeiros, psicólogos e outras especialidades em pediatria. Há doutores palhaços que realizam distribuição de brinquedos para crianças em atendimento pediátrico, leitura de livros, além de brincadeiras em roda, jogos de tabuleiro e musicoterapia.

Voluntários Eficiente
Voluntários de qualquer área, auxiliam os trabalhos de acolhimento, humanização, música, distribuição de alimentos e peças de vestuário. A maioria destes é portador de alguma doença ou deficiência física, mental ou sensorial.  Sempre será bem-vindo pessoas dispostas a “causar” amor ao próximo.

Banho de Amor

Logo cedo a fila já começa a se formar, na busca pelo maior bem estar da vida, um banho… É impressionante observá-los antes e pós banho, a alegria e satisfação de estar limpo e com a roupa trocada, comove todos ao redor. Durante todo o tempo que permanecem entre uma “barraca de atendimento” se flagra o êxtase através de um gesto único em cheirar os próprios, braços, mãos ou ombros, e mulheres expondo seus cabelos limpos ao vento. Tudo isto é possível por uma das parcerias mais importantes estabelecidas: O Banho de Amor – através de um grupo de voluntários com o objetivo de abraçar as pessoas em situações de rua, oferecem oportunidade de realizar sua higiene pessoal de forma digna com um banheiro itinerante. Nas ações são doadas também roupas limpas, alimentos e principalmente muito amor.

Parcerias

  • Projeto de extensão à alunos: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI, FMU, UNIVERSIADADE SÃO CAMILO, UNIVERSIDADE BRASIL
  • Ações em conjunto: FUSCA DO BEM, MOTO CLUBE ABENÇOADOS
  • Infraestrutura: INSTITUTO EU CAUSO e ANDA

 Premiações

  • BRASIL FOUNDATIONS 2019: Associação Médicos do Mundo, Curitiba, PR: Médicos de Rua, Mais do que Saúde.
  • HERE FOR GOOD 2018: premiação realizada pela Laureate International Universities

Não para por aí…

Com o crescimento e regularidade das ações, foi necessário criar  uma figura jurídica que representa o projeto médicos de rua. Inicialmente denominada médicos de rua, foi optado pelo nome ASSOCIAÇÃO MÉDICOS DO MUNDO, devido à diversidade de projetos criados (médicos de rua, doutores de rua, doutores brinquedos, mulheres sem medo, veterinários de rua, farmácia de rua, projeto imigrantes, projeto expedicionário, projeto África). Foi criado um projeto para levar alunos que possuem maior destaque durante as ações de rua para uma ação em Moçambique, acompanhadas pelo Dr. Felipe Amsterdã (ex-aluno do professor Mário).  o projeto já se estende  em Recife PE, Minas Gerais (Itajubá e Pouso Alegre) e Curitiba – PR.

Trata-se de uma demanda sem fim em um país onde 52 milhões de pessoas estão abaixo da linha de pobreza. Olhar jovens e professores envolvidos na iniciativa com tanto entusiasmo dá esperança de que pelo menos parte desses pobres brasileiros seja olhada e tratada como o que são: seres humanos e cidadãos como todos nós, merecedores de uma condição de vida digna.

Como disse Gabriela Galli, estudante de medicina,”nenhum remédio é mais importante do que escutar a história de vida dessas pessoas. “Esse é o remédio! Para muita gente, esse é o remédio. É você doar-se como pessoa sem pedir nada em troca”.

 “Não fique só no condomínio, no seu mundinho fechado. Vem pra cá, sinta a realidade das ruas, e nos ajude a “causar” em moldar esse mundo do jeito que a gente quer. Venha ser um parceiro e ou voluntário, e faça parte da mudança que queremos ter!

Doutor Mário Guimarães, um grande “causador” na árdua batalha por um mundo mais humano, saudável, justo e honesto!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Fechar