Saúde

Rinite alérgica prevalência em crianças e adolescentes

Rinite: abordagem individualizada deve garantir eficácia terapêutica

Loading Likes...

Agentes causadores

Nos últimos anos os especialistas vêm notando um aumento gradativo dos casos de rinite alérgica, embora a prevalência da doença no mundo seja bastante variada. De acordo com o Dr. Antonio Celso Nunes Nassif Filho, professor titular de Otorrinolaringologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), as estimativas são de que em países como a Suécia, Cingapura e Hong Kong a rinite atinja mais de 40% da população. “No Brasil, um estudo publicado em outubro de 2006, por Solé e colaboradores, realizado pelo Estudo Internacional de Asma e Alergias, estimou que a prevalência de rinite em escolares e adolescentes está entre 12,6% e 14,6 %.”

A rinite, causada por uma hiper-reatividade da mucosa nasal frente a um antígeno, provoca uma reação desproporcional no organismo, resultando em sintomas como obstrução nasal, coriza, espirros e prurido. Neste sentido, o Dr. Nassif Filho comenta que o aumento recente da incidência da rinite pode ser explicado pela crescente exposição das pessoas aos poluentes atmosféricos, como o ozônio, óxido de nitrogênio, dióxido de enxofre, fumaça de tabaco, formaldeídos e ácidos voláteis orgânicos. “Os antígenos presentes no ambiente doméstico, como ácaros, pêlos de animais, fungos, poeira e pólen de plantas, também desempenham um papel importante na ocorrência da rinite, sendo que  o tipo mais comum da doença, a rinite alérgica, tem um pico de prevalência em crianças e adolescentes.”

Segundo o médico, o diagnóstico da rinite é feito com base na história do paciente, análise dos seus sintomas, exame físico otorrinolaringológico e alguns exames complementares. “O otorrinolaringologista deve tentar classificar o tipo de rinite do paciente, para oferecer a melhor forma de tratamento. Alguns exames laboratoriais podem ser úteis, como a dosagem de imunoglobulinas, testes alérgicos específicos e contagem de células nasais. Entretanto, esses testes são complementares e não substituem uma boa anamnese nem o exame físico cuidadoso”, ressalta.

Em relação ao tratamento, o Dr. Nassif Filho afirma que a primeira medida é afastar o paciente do irritante e/ou alérgeno responsável pelo quadro nasal, o que nem sempre é possível. “Como podemos manter um habitante de um grande centro urbano longe da poluição? Apesar das impossibilidades ocupacionais, devemos tentar sempre minimizar a exposição aos agentes causadores”, declara.

Além disso, o especialista esclarece que junto com a higiene ambiental, vários medicamentos são utilizados no tratamento da rinite, possibilitando uma melhora na qualidade de vida do paciente. “A principal escolha para o tratamento das rinites são os corticóides nasais. Essas drogas são utilizadas para a prevenção e tratamento, e possuem poucos efeitos colaterais, devido à mínima absorção sistêmica. Os anti-histamínicos também são amplamente usados, principalmente para alívio dos sintomas, como prurido, espirros e coriza. Outras opções farmacológicas são os cromoglicatos, descongestionantes, antileucotrienos e a imunoterapia.”

Imunoterapia

Para o Dr. Nassif Filho, a imunoterapia é de grande valia no tratamento de casos específicos da rinite. “As vacinas estão indicadas para aqueles pacientes que necessitam de medicação preventiva em longo prazo, mas atualmente também vêm sendo utilizadas no início da manifestação do quadro da doença para evitar possíveis complicações. A imunoterapia só pode ser utilizada na rinite alérgica, com conhecimento do antígeno responsável, já que a vacina é feita sob medida.”

O médico explica ainda que as vacinas sempre devem ser utilizadas por períodos prolongados, e em antígenos inaláveis, ou seja, quando o agente causador da rinite é processado pelo nariz, sendo de pouca valia para antígenos alimentares. Segundo ele, hoje vários medicamentos estão ganhando espaço no tratamento da rinite, como os antagonistas de interleucinas e de imunoglobulina E (IgE). “Acredito que no futuro, medicamentos desenvolvidos de maneira personalizada, para cada tipo de paciente, com cada vez menor incidência de efeitos colaterais, terão grande impacto no tratamento da rinite”, acrescenta.

O Dr. Nassif Filho lembra que a rinite pode prejudicar a qualidade de vida do portador, com diminuição do desempenho físico, social e emocional. “Além disso, a doença pode ser responsável por complicações otológicas com alterações auditivas pela otite média serosa, que é um acúmulo de líquido na orelha média, comprometendo a aquisição e desenvolvimento da linguagem e queda do aproveitamento escolar. A rinossinusite, as alterações na arcada dentária e o crescimento da face são outros exemplos de complicações da rinite”, informa.

Fonte: Revista Médico Repórter

 

 

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Fechar