Papo RápidoSaúde

Greve Parcial Samu – Móvel de Urgência

Funcionários do Samu fazem greve parcial de 48 horas contra mudanças no serviço

Loading Likes...

SÃO PAULO – Os funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que atuam na cidade de São Paulo estão fazendo uma nova paralisação parcial no atendimento desde as 7 horas desta terça-feira, 9, contra o Plano de Descentralização do serviço anunciado pela Secretaria Municipal da Saúde, que propõe a expansão do serviço de 58 para 75 pontos, mas com a extinção de 31 bases.

A mobilização deve durar 48 horas e a categoria diz que pacientes não vão deixar de receber atendimento durante o ato. Secretaria diz que vai responsabilizar entidades se paralisação afetar a população.

Segundo João Gabriel Buonavita, vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep), houve uma reunião nesta segunda-feira, 8, com representantes da Secretaria Municipal da Saúde, mas a proposta apresentada pela pasta não atendia às reivindicações da categoria.

“Eles querem que uma comissão formada pelos sindicatos dos enfermeiros e dos servidores municipais e pelo conselho de enfermagem façam visitas às bases em um período de 40 dias. Diante da negativa de negociar de forma emergencial, resolvemos fazer a paralisação parcial.” Buonavita diz que a população não será prejudicada pela mobilização.

“Mais de 90% das equipes de Suporte Intermediário de Vida (SIV) e de Suporte Avançado de Vida (SAV) vão continuar trabalhando. O plano de desmonte do Samu é que está prejudicando a população. As novas bases não têm espaço para a higienização das ambulâncias e dos profissionais. Não podemos jogar sangue no pátio das UBSs (Unidades Básicas de Saúde).”

A Secretaria Municipal da Saúde informou, em nota, que “acolheu as principais reivindicações apresentadas” e disse que lamenta que “as entidades de classe tenham optado por manter a ameaça de greve de um serviço essencial para o cidadão paulistano”.

A pasta disse que vai atuar para evitar impactos da mobilização para o serviço e que vai “responsabilizar as entidades por qualquer dano à população que essa greve venha a provocar”.

Assista ao vídeo: A saúde nos 100 primeiros dias de Bolsonaro (Via TV Cultura), link abaixo:

https://www.msn.com/pt-br/noticias/videos/a-sa%c3%bade-nos-100-primeiros-dias-de-bolsonaro-assista/vi-BBVJI6G?ocid=WidgetStore

Fontes:
Estadão
Foto: Alex Silva/Estadão – Base do Samu no Bairro Casa Verde

 

 

Ana Sodré

Sentir-se bem em fazer o bem… Sou antes de tudo um ser humano que ama a vida e estou sempre em busca de um mundo melhor. Atuei nos últimos 30 anos como empresária e editora, destacando três grandes publicações, a Revista Médico Repórter e o Jornal Hipócrates, atingindo a classe médica. E, por 2 anos a Revista Aimè, voltada para o público gay masculino, com venda em banca no âmbito nacional, sendo também distribuída na Argentina e em Portugal. A repercussão foi muito positiva, do qual recebi um prêmio Mulher Excelência 2009 - CIESP. Ao receber o convite para ser parte do Instituto - “Eu Causo”, foi como um raio de sol iluminando o meu horizonte… Envolvida na saúde, ao longo destes anos me deparei com diversas situações, oras boas, outras nem tanto, porém algo sempre me chamou a atenção, a fragilidade do Ser Humano. Pude perceber de perto, o quanto estamos vulneráveis mediante uma doença, quer seja em causa própria, ou de alguém da família, um amigo... Com base nessa premissa, agarro este projeto com o mesmo propósito: contribuir, através da informação, para um melhor estar! Estarei comprometida a identificar os avanços da medicina em prol da saúde, em responder as demandas da população; e vendo como as pessoas se conectam mais, me engajarei para que cada um de vocês utilize este portal, na certeza que irão encontrar um espaço acolhedor e aglutinador, para que juntos, possamos alcançar um estado de felicidade. Eu escolhi cuidar! … Eu causo!… E você?

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.