Saúde Animal

Especialista fala sobre os cuidados que animais cegos exigem e precisam

O gatinho que vive sempre serelepe e pulando tudo e em tudo que vê pela frente passa a ficar mais lento. De repente, você se surpreende vendo seu cão batendo...

Loading Likes...
Divulgação

Divulgação

O gatinho que vive sempre serelepe e pulando tudo e em tudo que vê pela frente passa a ficar mais lento. De repente, você se surpreende vendo seu cão batendo a cabeça, com frequência, em locais óbvios. O gato, que costumava ser dócil, fica agressivo e sempre na defensiva. O cão, que adorava passear, passa a ficar mais apegado à guia e cuidadoso, durante a caminhada, ao invés de sair correndo rumo a todas as motos que passam. Quando o animal começa a agir conforme as situações descritas, possivelmente ele pode estar cego.

A veterinária oftalmologista Priscilla Policarpo conta que o sintoma mais percebido pelos tutores nos animais é o fato deles começarem a bater nos lugares. Além disso, outro sintoma, que é menos perceptível, é a dilatação da pupila do animal. “É quando o olho fica parado ou maior”, explica.

Divulgação

Divulgação

A possibilidade de cegueira em um animal de estimação é assustadora. No entanto existem meios de adaptação, e o abandono nunca deve ser uma opção. “Os animais acabam se adaptando ao ambiente”, explica Priscilla. O segredo, segundo a veterinária, está no manejo, quer dizer, não mudar os objetos de lugar em casa, retirar do caminho itens que podem machucar, manter as vasilhas de comida e água nos mesmos lugares, dentre outros cuidados. “Hoje em dia, criaram um acessório que funciona como um aparador, que evita que o animal trombe nos lugares, já que o arco o protege”, conta a veterinária, sobre uma espécie de bambolê que funciona como aparador.

Para além dessas medidas mais físicas, a veterinária alerta para a continuidade do tratamento da doença que possa ter causado a cegueira. Mas quais doenças podem desencadear na perda da visão? Segundo Priscilla, glaucoma, ceratoconjuntivite seca, catarata e traumas estão entre as principais doenças causadoras. “A prevalência da causa da cegueira é por traumas”, ressalta. A veterinária frisa, ainda, que é importante lembrar que alterações hormonais também podem ocasionar a perda da visão do animal. Dentre as alterações, estão a diabetes e o hipertireoidismo, por exemplo.

A cura é possível apenas no caso da catarata. As outras doenças podem ser revertidas enquanto o animal ainda possui a visão. Caso o animal já tenha chegado ao nível de atingir a cegueira, conforme Priscilla, a única doença que possibilita a reversão é a catarata. No caso do glaucoma, por exemplo, quando o animal alcança a cegueira, significa que houve a morte do nervo ótico, portanto não há a possibilidade de reversão. Para prevenir, a veterinária aconselha fazer visitas periódicas ao especialista oftalmológico para fazer check-up – de preferência uma vez ao ano.

Assim, o animal fica sob vistoria e o tratamento das doenças propiciadoras da cegueira ocorre mais cedo, podendo evitar a perda total da visão dos animaizinhos.

Fonte: ANDA

 

Anda.jor.br

A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo que combate a violência social e a destruição do meio ambiente a partir da defesa dos direitos dos animais. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa. ...Neste espaço vamos trazer todos os tipos de notícias sobre saúde animal. Como poderão acompanhar, uma grande parte dos animais podem sofrer das mesmas doenças que nos acometem como diabetes, dermatites, nanismo, Alzheimer, cegueira, paralisias e outras mais. Ao mesmo tempo a proximidade e a relação próxima de amor com animais nos traz benefícios, sem que ao menos percebamos! Fiquem sempre atentos à saúde dos queridos membros de sua família, mesmo que sejam de outra espécie!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Fechar